" ESCREVER É AMADURECER COM AS PRÓPRIAS IDEIAS!"

( Roberta Amaro )

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

PULSEIRAS DO SEXO, BRINCADEIRA DE MAU GOSTO


No Brasil o mercado do entretenimento movimenta milhões de reais todo ano. São inovações, tecnologia, brinquedos importados, jogos, enfim, uma infinidade de produtos que fazem a cabeça das crianças e dos jovens.

Pena que nem tudo que se importa seja adequado. É o caso da nova brincadeira importada da Inglaterra, as chamadas "pulseiras do sexo". Uma espécie de jogo inventado pelos ingleses e que tem gerado bastante polêmica. As pulseiras, ou braceletes possuem significados eróticos e parece que já virou moda no Brasil. Nessa hora os que mais se preocupam são os pais que desinformados não sabem a maneira certa de lidar com a situação.

Elas são verdes, amarelas, pretas, douradas, roxas e, ainda por cima baratas e atraentes. Pode até parecer modismo de adolescente, todavia por trás dessas simples pulseiras de borracha mora um grande perigo.

O jogo consiste no chamado "snap", que quer dizer "estouro", ou seja, tem que tentar arrebentar uma pulseira que o amigo(a) possui no braço. Caso o jogador consiga o dono da pulseira deverá se submeter a um ato correspondente àquela cor, segundo uma espécie de código. Os atos são totalmente absurdos e inapropriados para a faixa etária envolvida. A pulseira rosa, por exemplo, corresponde a mostrar os seios. Roxa, significa beijo de língua. Preta, sexo. E a dourada é a mescla de todas as outras.

Um apelo erótico absurdo. Não se sabe ainda quais jovens usam e se os jovens brasileiros seguem á risca o jogo britânico. Por isso é necessário que os pais fiquem atentos.

Particularmente fiquei horrorizada ao saber dos detalhes dessa polêmica. É triste saber que cada vez mais os jovens se precipitam com relação a sexualidade. Numa reportagem que li uma especialista dizia que parece que a sexualidade está se "coisificando", ou seja, virando um consumo sem limites.

Por de trás de tudo isso há uma grande falta de amadurecimento, identidade e é claro de diálogo. Aliás, é talvez essa a causa de bricadeiras inapropriadas estarem iludindo tanto os jovens. A ausência do diálogo corrobora para a falta de discernimento na hora das escolhas.


Quando existe diálogo aliado a uma boa educação, a relação de confiança é inabalável. Assim o jovem saberá decidir sempre pelo o que é certo.


É o meu alerta!

Pense nisso...

Um comentário:

  1. Super interessante, realmente é necessário ficar atento.

    ResponderExcluir